Skip to main content

Culture and Creativity

Os Três Irmãos (Letónia)

Os «Três Irmãos» é um complexo de três edifícios construídos em Riga entre os séculos XV e XVII. Entre eles encontra-se o mais antigo edifício de pedra de Riga e um edifício com uma fachada inspirada em desenhos de Hans Vredeman de Vries. Os edifícios apresentam características próprias das habitações encontradas nas cidades hanseáticas da região do Báltico. Ao longo dos séculos sofreram alterações, sendo que a intervenção mais recente, pelo arquiteto Pēteris Saulītis, teve lugar nos anos 1950. Nesta campanha de restauração, foram integradas no conjunto partes de outros edifícios destruídos e danificados.

Durante a ocupação soviética da Letónia, o complexo foi um dos primeiros sítios a serem restaurados, fazendo jus à filosofia e à prática de conservação da República da Letónia no período entre as guerras. Esta filosofia, que visa conservar o máximo possível de material histórico, inclusivamente as marcas de desgaste, também inspirou outros projetos de restauro, apesar das ameaças e da pressão dos ocupantes soviéticos. O sítio continua a ocupar um papel central na conservação do património na Letónia, uma vez que acolhe o Conselho Nacional do Património e o Museu de Arquitetura da Letónia.

A conservação do património e os conceitos que guiaram a sua prática foram decisivos na resistência à destruição da cultura letã durante a ocupação soviética e para manter o vínculo com a Europa e o valor da liberdade durante este período. Os «Três Irmãos» ocuparam um lugar primordial neste movimento. Após a independência, em 1991, foi dada grande prioridade à política do património, que se baseou nos princípios de conservação do património cultural desenvolvidos na Europa. Continua assim até ao presente, com a integração de uma nova dimensão da política do património numa visão a longo prazo baseada no exemplo da proteção da herança histórica da cidade de Riga dos impactos negativos do desenvolvimento económico excessivo. Em consequência, os «Três Irmãos» tornaram-se um símbolo dos sistemas de proteção do património cultural e da sua capacidade de influência na Europa.